quinta-feira, 13 de novembro de 2014

PLANO DE AULA - 1º ANO / 4º BIM. 11/2014

1. IDENTIFICAÇÃO: 
NOME DA DISCIPLINA: Língua Portuguesa
PROFESSORA: Daniela Menegassi
ESCOLA: Estadual Cel. “Francisco Matarazzo Sobrinho”
ANO/SÉRIE/TURMA: 1º A/B/C/D – 11/2014
PERÍODO: 4º bimestre

2. TEMA(S): Literatura de Cordel.

3. OBJETIVOS: Compreensão do tema.

4. JUSTIFICATIVA: Fazer o aluno compreender essa modalidade de texto, trabalhar oralidade, identificar uso de palavras diferenciadas (linguagem popular) e ter noções de rimas e métricas, bem como principais autores.

5. METODOLOGIA: Aula expositiva e interativa com explicações, bate-papo, participação dos alunos e suas opiniões.

6. RECURSOS DIDÁTICOS: Texto “Linguage dos óio” de Patativa de Assaré.

7. AVALIAÇÃO: Trabalho em sala de aula a ser realizado em dupla para nota.

8. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: 
http://odemartins.blogspot.com.br/p/literatura-de-cordel.html

LINGUAGE DOS ÓIO – PATATIVA DE ASSARÉ

Quem repara o corpo humano 
E com coidado nalisa, 
Vê que o Autô Soberano 
Lhe deu tudo o que precisa, 
Os orgo que a gente tem 
Tudo serve munto bem, 
Mas ninguém pode negá 
Que o Auto da Criação 
Fez com maior prefeição 
Os orgo visioná.

Os óio além de chorá, 
É quem vê a nossa estrada 
Mode o corpo se livrá 
De queda e barruada 
E além de chorá e de vê 
Prumode nos defendê, 
Tem mais um grande mistér 
De admirave vantage, 
Na sua muda linguage 
Diz quando qué ou não qué. 

Os óios consigo tem 
Incomparave segredo, 
Tem o oiá querendo bem 
E o oiá sentindo medo, 
A pessoa apaixonada 
Não precisa dizê nada, 
Não precisa utilizá 
A língua que tem na bôca, 
O oiá de uma caboca 
Diz quando qué namorá.

Munta comunicação 
Os óio veve fazendo 
Por izempro, oiá pidão 
Dá siná que tá querendo 
Tudo apresenta na vista, 
Comparo com o truquista 
Trabaiando bem ativo 
Dexando o povo enganado, 
Os óios pissui dois lado, 
Positivo e negativo.

Mesmo sem nada falá, 
Mesmo assim calado e mudo, 
Os orgo visioná 
Sabe dá siná de tudo, 
Quando fica namorado 
Pela moça despresado 
Não precisa conversá, 
Logo ele tá entendendo 
Os óios dela dizendo, 
Vica lá que eu vivo cá.

Os óios conversa munto 
Nele um grande livro inziste 
Todo repreto de assunto, 
Por izempro o oiá triste 
Com certeza tá contando 
Que seu dono tá passando 
Um sofrimento sem fim, 
E o oiá desconfiado 
Diz que o seu dono é curpado 
Fez arguma coisa ruim.

Os óis duma pessoa 
Pode bem sê comparado 
Com as água da lagoa 
Quando o vento tá parado, 
Mas porém no mesmo istante 
Pode ficá revortante 
Querendo desafiá, 
Infuricido e valente; 
Neste dois malandro a gente 
Nunca pode confiá.

Oiá puro, manso e terno, 
Protetó e cheio de brio 
É o doce oiá materno 
Pedindo para o seu fio 
Saúde e felicidade 
Este oiá de piedade 
De perdão e de ternura 
Diz que preza, que ama e estima 
É os óio que se aproxima 
Dos óio da Virge Pura.

Nem mesmo os grande oculista, 
Os dotô que munta estuda, 
Os mais maió cientista, 
Conhece a lingua muda 
Dos orgo visioná 
E os mais ruim de decifrá 
De todos que eu tô falando, 
É quando o oiá é zanoio, 
Ninguém sabe cada óio 
Pra onde tá reparando.

LEIA O POEMA E RESPONDA AS QUESTÕES ABAIXO:

1 – Localize no poema 05 palavras que para você possuem a grafia diferente.

2 – Copie as 05 palavras localizadas e na frente mencione o significado correto dessas palavras conforme sua compreensão.

3 – Explique de forma breve o que você entendeu sobre a Literatura de Cordel?

4 – Qual é a influência dessa literatura?

5 – Qual é o tema principal do poema conforme sua compreensão?

6 – Reescreva uma estrofe de sua escolha conforme a gramática correta da Língua Portuguesa.

7 – Qual é a sua opinião sobre a Literatura de Cordel?

Nenhum comentário:

Postar um comentário